Educação não consiste apenas em boas maneiras, é algo mais amplo, mais profundo, porque envolve o desenvolvimento da vontade, os problemas da saúde física, da higiene mental, da formação moral. Olga Brandão de Almeida

Na aurora da vida - Por Olga Brandão Cordeiro de Almeida

Você, que é jovem e precisa de orientação, não se deixe levar pelas criaturas que nenhum valor dão à vida. Veja, na existência dos indivíduos cujo comportamento é só orgia, reflexo de ódio e desespero.

A vida humana é coisa preciosa, de incalculável valor, para aqueles que não lhe dão como alimento angústia ou centelhas de ódio. É coisa preciosa para os que se convencem de que somente a voz do amor é capaz de abafar as explosões de cólera e os sentimentos de maldade.

Você é estudante e espera definir-se por uma profissão.

Educar-se para a profissão é desenvolver vontade para conseguir confiança em si, primeiro passo no caminho do trabalho, e trabalho é sina a que ninguém deve furtar-se, sob pena de cair na miséria. Mas miséria é um abismo em cujo fundo se confrontam as Dores e os Vícios.
O estudo é a primeira profissão e exige todas as qualidades inerentes ao trabalho: lealdade, assiduidade, esforço, solidariedade, coragem e, principalmente, vontade. Mas se o hábito dessas qualidades forma o caráter, conclui-se que o estudo vale mais pela formação da personalidade que pela aptidão mental.

Somente estudando, você compreenderá o valor do estudo: satisfação de saber, descobrir e realizar. Realizar, no sentido de ser útil à comunidade e assumir um cargo de alcance social.

Ser o primeiro da classe é um fato espontâneo, por isso, quando exigido, pode acarretar sérias deformações morais pela diminuição de algumas qualidades como a modéstia e o companheirismo.

A família pode e deve estimulá-lo sem que o prejudique sob pressão externa de promessas ou ameaças.

Recuse-as, mas tire do castigo merecido uma lição de vida: “relacionando-se ao erro, o castigo ensina que os prejuízos devem ser pagos”.

O fracasso repetido nos estudos é capaz de provocar cinismo, máscara muito mais feia porque retrata uma decepção consigo mesmo.

Aprenda a compreender o valor do boletim escolar: ele lhe mostra as melhoras conseguidas assim como os pontos fracos a exigirem revisão e correção. Não se desvalorize tanto, a ponto de falsificar as notas!

Se você se envergonha ante os olhares e as palavras menosprezantes, não será melhor corar sozinho diante da própria consciência?

A vida dos heróis e dos grandes homens se revela desde cedo com o sucesso escolar.

Talvez, você se lembre de que há casos de estudantes indisciplinados que se tornaram homens de valor.

Existem, sim, aqueles que, procurando conhecer-se, conseguiram, em ocasião oportuna, a recuperação do tempo perdido. Mas são exceções. Todo êxito é o resultado de esforço; todo esforço é vontade posta em ação.

Muita segurança material significa um alçapão dourado à espera de uma presa que se chama mediocridade.

Compenetre-se de que o valor do homem não está na profissão que escolheu, mas na maneira por que a realiza.

Antes de optar pela carreira examine-se bem.

Vocação, meu caro, é apelo que leva o indivíduo a tirar de si mesmo riquezas para oferecê-las a outrem. E o êxito da realização estará no rumo que tomarem os que as receberam.

No exercício da profissão, procure, antes de tudo, amá-la, porque o importante é o amor com que a pessoa marca a vida.

Entre os muitos problemas sugeridos pelo amor, destaca-se o do conhecimento da verdade. Somente ele lhe dará forças para distinguir o impulso instintivo e submetê-lo ao dever; somente ele engendrará a conquista da liberdade tão difícil de ser compreendida e conquistada pela juventude.

— Alguém pode considerar-se livre, quando houver contradições na maneira de pensar e agir?

Conquistar liberdade é bastar-se por si mesmo. Procure situar sua vida neste maravilhoso triângulo: Liberdade, amor e verdade.

Viva sob o signo de um ideal e lute por ele!

Procure, por si mesmo, no cotidiano, o caminho que leva a um mundo melhor. Os atalhos aparecem através da educação e comunicação, das relações com o trabalho.

Se você, até hoje, não ouviu palavras como essas, que resultam de uma longa experiência aliada a um forte desejo de ajudar, procure refletir bem sobre tudo que acaba de ler. Reúna suas forças com tanta vontade e lealdade que sejam capazes de levá-lo a um fim digno, o único que vale a pena neste mundo.

A mocidade lhe reserva um potencial de energia. Aproveite-a enquanto é tempo.
Não se deixe dominar pelas fraquezas morais capazes de arrastá-lo… para onde?

Na aurora da vida
Por Olga Brandão Cordeiro de Almeida

Fonte: