Educação não consiste apenas em boas maneiras, é algo mais amplo, mais profundo, porque envolve o desenvolvimento da vontade, os problemas da saúde física, da higiene mental, da formação moral. Olga Brandão de Almeida

Cuide da mente - Por Olga Brandão de Almeida

São tantos os acidentes e as deformações morais na vida moderna, que se impõe dar à mente uma direção acertada.

Não desperta alegria nem oferece condições de saúde uma casa onde não entram a luz e o ar. Nos ambientes claros não se pisa em falso e os animais daninhos preferem os cantos sombrios. Casa arejada não tem miasmas e, por isso, aí se respira tranquilamente. Em cada aspiração não entra somente ar, mas também garantia de sobrevivência.

Se luz e ar são condições de vida, urge que se insista em procurá-los, abrindo janelas, fazendo que raios luminosos cheguem, embora através de telhas de vidro.

A mente é o nosso lar interior. Como a casa material, também necessita de iluminação e arejamento, mas de um foco possante capaz de transpor paredes. Esse foco luminoso são as idéias provindas da inteligência, que é o próprio espírito. 

Aclare sua mente com idéias otimistas sem ódios ou tristezas.

As crises permanentes de choro e os queixumes são reações anormais que fomentam intoxicações emocionais. Aprenda a trancar as preocupações nos momentos em que se distrai com os amigos ou familiares. Os distúrbios emocionais resultantes de desentendimentos familiares extenuam o indivíduo, esgotam-lhe as forças.

O arejamento da mente, de importância imediata para o espírito, se consegue por meio de idéias agradáveis, com planejamentos construtivos, com formulações de ideais. Esses surgem onde se desenvolvem laços de camaradagem e solidariedade.

Nada os estimula tanto como a motivação de trabalho e sacrifícios em comum. O esforço na realização do ideal traz a sensação de utilidade, verdadeiro propósito da vida.

Piores que os miasmas são os ressentimentos, as mágoas, as malquerenças. Para bani-los, basta que uma vontade forte se encarregue de levá-los para longe como faz o vento.

Trata-se de desanuviar a mente com idéias claras. Dissimulações dificilmente iludem os outros, porque todos são intuitivos.

Abasteça-se a casa interior com tudo que for verdadeiro. Somente a verdade é capaz de aliviar as revoltas provocadas pelas injustiças.

Tendências e inclinações, vida instintiva e afetiva só formarão personalidade se as idéias nascerem da razão e forem postas em prática pela vontade. Desse modo será feita a seleção de valores morais e a realização de ideais, sentidos, admirados e queridos no viver de cada dia. Quanto mais se expandir a personalidade mais se firmará a felicidade.

Para que a vida não fique rotineira, há necessidade de torná-la atraente, procurando sempre algo que proporcione alegria e estímulo.

Quando as sombras de tristeza toldarem o brilho dos olhos, que são o espelho da alma, revista as paredes da mente com paisagens que recordem momentos felizes de sua vida: a visão do belo e a sensação de felicidade trarão a paz de espírito tão necessária à aquisição de novas energias.

Mas se um grande sofrimento reduzir-lhe o ânimo, apoie-se na vida espiritual, confie e espere, porque tudo se normalizará.

Cuide da mente